Arquivo de janeiro, 2011


Editora: Record

Cada uma dessas mulheres tem de enfrentar seus fantasmas.  Rizzoli se recusa a admitir a verdade que seu futuro carrega e Isles nega sua solidão.  O que menos importa, nesse momento, é o crime da freira.

Nem mesmo as temperaturas glaciais típicas do inverno na Nova Inglaterra podem competir com a cena congelante, descoberta na capela do Mosteiro Lady of Divine Light, na véspera do Natal.

Dentro das paredes do convento, duas freiras estão caídas – uma morta, outra quase, ambas vítimas de um ataque selvagem.

Em O pecador, o crime brutal parece sem motivo algum, mas a médica legista Maura Isles, que nos foi apresentada no livro anterior, O Dominador (resenha Skoob: http://www.skoob.com.br/estante/livro/12407680 e resenha no blog: https://houseofthrillers.wordpress.com/2011/01/15/o-dominador-the-apprentice-tess-gerritsen-serie-rizzoliisles-2/ ), durante a autópsia da freira que está morta, tem uma surpresa terrível: a irmã Camille, de vinte anos, próxima a tomar seus votos, tinha acabado de dar a luz a uma criança, antes de ser assassinada.  Em breve, o corpo do bebê será descoberto num poço perto do convento. (mais…)

Anúncios

Editora: L&PM Pocket

“Eu, eu sei de tudo.” – Hercule Poirot
Resolvi ler alguns livros meio que esquecidos na estante de “Para ler”, da Dama do Crime, Agatha Christie. Com tanto aparato tecnológico de que os romances policiais se utilizam, hoje em dia, parece, até mesmo, um anacronismo, ler a autora em questão. E eu sou fã de carteirinha das autoras mais famosas do momento: Patrícia Cornwell, Tess Gerritsen e Karin Slaughter. Mas não me arrependi – a velha dama ainda é um “must” em matéria de mistério e suspense – e sabe prender seu leitor como ninguém, somente no texto brilhante de sua literatura. O livro em questão é uma coletânea de contos curtos e divertidos – se é que pode achar diversão num assassinato… Nota: 3 (mais…)


 Editora: Intrínseca

Poesia combina com carnificina?
Normalmente, eu leio o livro todo de depois faço a resenha. Mas, dessa vez, no caso de “Eu Mato“, tive que ir anotando meus sentimentos, à medida que devorava o livro. 
Gente, adoro tramas policiais e serial killers, em especial. Estou acostumada com carnificinas, adoro médicos legistas, necropsias e outros afins – mas “Eu mato” é demais!!! 
Conseguiu me fazer parar de ler e reler minhas preferidas Patricia Cornwell, Tess Gerritsen e Karin Slaughter, ganhando, de longe, em crueldade.
Acontece que o livro também é muito, muito poético…  A música permeia a trama, com U2, Carlo Santana e Deep Purple. (mais…)


“Caso Satã existisse, o futuro da ordem fundada por São Francisco lhe proporcionaria um prazer extraordinário.” Bertrand Russel, comentando sobre como a ordem se tornou corrupta.
Compari della Tomba – Fraternidade criada no século XIII para proteger o segredo do local onde estariam enterrados os ossos de São Francisco de Assis.
Essa eu não sabia – a irmã de Francisco de Assis, Clara, foi a fundadora de seu braço feminino – As Damas Pobres, tornando-se, mais tarde, Santa Clara, dedicando-se a uma vida de pobreza, com mais determinação do que os frades franciscanos, até que sua Ordem fosse oficializada pelo Papa da época.
Esse livro, pelo visto e lido, até agora, tem tudo para me interessar bastante – história medieval, religião e pergaminhos/iluminuras/segredos criptografados.
Surge uma mensagem em rolo de papel – um material revolucionário, para a época, trazido da Espanha, pelos Mouros. (mais…)


Editora: Record

“As maiores conquistas da humanidade foram iniciadas com sonhos.” – Tess Gerritsen

Este romance da famosa escritora da série Rizzoli&Isles, Gravidade, reúne os fãs de sci-fi, thrillers médicos e romances de banca, misturando medicina e ciência com suspense.  Com esse exemplar, Gravidade, pode-se dizer que Tess já escreveu sobre quase todos os assuntos.

Gravidade se inicia em Galápagos – onde a única luz era o brilho das criaturas fosforescentes.  Mesmo nessas águas negras, e venenosas, a vida floresceu de formas belas e fantásticas.  Aqui um grande acidente acontece.

Em Gravidade, 2 anos depois – em um simulador de lançamento de foguetes na NASA, discutem-se os problemas no casamento entre um astronauta e um civil: um civil não consegue compartilhar os sonhos do astronauta.  Somente os santos e mártires conseguem continuar casados com astronautas – ou aqueles que não estão nem ai para o que acontece com seu companheiros.  – este trecho é muuuuuuuuito chato! Com detalhes técnicos demais. (mais…)