IRA IMPLACÁVEL – Luis Eduardo Matta

Publicado: 12 de março de 2011 em autores brasileiros, Luis Eduardo Matta
Tags:

Editora: Razão Cultural

Ganhei o livro em sorteio durante o encontro dos Skoobers/RJ Novos Autores Brasileiros. O autor Luis Eduardo Matta estava presente e, muito gentil, autografou e dedicou meu exemplar.

O tema (terrorismo e espionagem) não é dos meus preferidos, mas, me interessei pelo livro, por conta da simpatia e desenvoltura de Luis.

Ao descrever a obra do artista plástico que serviu de ambientação para o atentado que dá início à trama, Matta, irônico, parece combinar com minhas próprias impressões acerca da arte dita contemporânea e sua necessidade de se diferenciar através de termos e conceitos estapafúrdios: “(…) seu estilo seria algo como uma perspectiva conceitual da pós-contemporaneidade, com ecos de uma metafiguração neoabstrata desconstrutivista, (…) além de contar com uma inspiração cósmica regida pelos astros e discos voadores.”  – Traduz pra mim!!!!”


Me lembrou a trama da série “Deixados para trás” (tirando o viés evangélico) – o anti-cristo / líder mundial / aparente salvador do mundo, na verdade, o seu algoz… Saudades de Montmartre e Montparnasse…

Reviravoltas – adoro reviravoltas…

Gente! Não é que o Luis Eduardo resolveu colocar como protagonistas 2 tipos de veneno que eu mesma já vinha pesquisando, para um projeto de livro policial meu?
Arsênico e Tetrodotoxina (TTX) – ainda bem que eu tenho registradas em arquivo, algumas impressões sobre este último: envenenamento causado pela ingestão de toxina produzida nas vísceras do peixe fugu japonês ou baiacu.
Esta toxina é fatal para o homem e ocorre, também, na pele de salamandras aquáticas e determinados polvos. O primeiro sintoma de envenenamento é uma dormência/paralisação dos lábios e da língua, que aparece entre 20 minutos a 3 horas depois da ingestão do baiacu. O sintoma seguinte é o aumento de parestesia de face e extremidades, que pode ser acompanhada de sensação de leveza ou flutuação. Dor de cabeça, rubor facial, dor epigástrica, náusea, diarréia e ou vômito podem ocorrer. Dificuldade para andar pode ocorrer nessa fase que evolui para o aumento da paralisia, com dispnéia. A fala é afetada e a pessoa envenenada apresenta comumente cianose e hipotensão, com convulsões, contração muscular, pupilas dilatadas e insuficiência respiratória. O paciente, embora totalmente paralisado, permanece consciente e lúcido até o período próximo da morte. O óbito ocorre dentro de 4 a 6 horas, podendo variar de cerca de 20 minutos a 8 horas. Fugu no Japão é um problema de saúde pública pois faz parte da culinária tradicional. É considerado uma guloseima preparada e vendida em restaurantes especiais, com indivíduos treinados e licenciados, capazes de remover, cuidadosamente, as vísceras, para reduzir o perigo de envenenamento.

Segue trecho de meu livro:
“Adriano Vasques havia sido assassinado, aparentemente, por alguém desesperado de ódio; porque ele havia sofrido uma série de ataques diferentes. Havia uma faca enterrada em suas costas, na altura do pulmão esquerdo; um buraco de bala na nuca, a queima-roupa; e uma corda fina passada por seu pescoço. A cabeça pendia sobre o tampo da mesa, os braços largados ao lado do corpo, como uma marionete esquecida no fundo de um armário. Sobre a mesa havia uma taça de vinho com um pouco de um tinto no fundo e um prato de comida com restos de peixe cozido com batatas. Ao lado do computador, numa elegante caixa de metal, estavam as seringas descartáveis, algodão, esparadrapo e um aviso para não esquecer de tomar a dose de insulina que estava guardada na geladeira da copa do Gabinete.”   Lili Machado

Enfim, chegamos ao final de IRA Implacável, com a conclusão de que o autor é, realmente, muito culto – sabe, inegavelmente, o que está falando – demonstra conhecer política e economia mundiais – prova ser viajado, através de suas descrições precisas das ruas de Paris – infelizmente, como disse no início desse histórico de leitura, o tema não me é palpitante, malgrado seus méritos e atualidade.

Ficam os parabéns e votos de sucesso crescente.

video com o autor, Luis Eduardo Matta:

Luis Eduardo Matta

Luis Eduardo Matta nasceu no Rio de Janeiro, em 1974, cidade onde atualmente reside. Descendente de libaneses pelo lado paterno, o autor iniciou a carreira literária em 1993, aos 18 anos, com a publicação do livro Conexão Beirute-Teeran (Editora Chamaeleon), um thriller com nuances policiais, ambientado no pós-guerra do Líbano. A decisão de assumir por ofício a escrita pelo viés ficcional resultou na publicação das obras “Ira implacável: indícios de uma conspiração” (Razão Cultural Editora); “120 horas” (Editora Planeta); “Morte no colégio” (Editora Ática); “Roubo no paço imperial” (Editora Ática); “O rubi do planalto central” (Editora Ática); e “O véu” (Primavera Editorial). Com abordagem contemporânea e estilo ágil, sutil e refinado, Matta confere ao thriller uma fisionomia brasileira sem despojá-lo das características fundamentais do gênero universal.  

Outras resenhas de livros de Luis Eduardo Matta, aqui no House of Thrillers: https://houseofthrillers.wordpress.com/category/luis-eduardo-matta/

Acompanhe o escritor Luis Eduardo Matta: http://www.lematta.com/

Twitter: @lematta http://twitter.com/#!/lematta

Facebook: http://www.facebook.com/media/set/fbx/?set=a.1671653323039.2082186.1588575676#!/luis.eduardo.matta

Conversas no Facebook, da autora deste blog Lili Machado, com o escritor Luis Eduardo Matta:  

“Lili, meus quatro primeiros romances tiveram o Oriente Médio como um dos cenários. Durante muitos anos estudei bastante sobre a região, de onde veio a família do meu pai.” – Luis Eduardo Matta, em 23 de setembro de 2010.
“Achei fantástica a resenha, Lili. Que bom que a leitura lhe fez boa companhia. Adorei seus comentários. Obrigado mesmo. Bjs.” – Luis Eduardo Matta, em 28 de setembro de 2010.
“Lili.  Estou adorando o blog. Parabéns.  Beijo grande.” – Luis Eduardo Matta, em 23 de abril de 2011.
 
 
Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s