Liga, desliga – Colleen McCullough

Publicado: 10 de março de 2012 em Autores que não são escritores de Thrillers
Tags:, ,

Editora: Bertrand Brasil

Todas as vítimas eram lindas e todas se pareciam.

Provando que pode triunfar em qualquer gênero de ficção, a aclamada autora australiana Colleen McCollough, do romance água com açúcar Pássaros Feridos e da série de romances históricos: Senhores de Roma, presenteia seus leitores com uma obra-prima do suspense policial.

Além disso, vale lembrar a avançada idade da escritora.  O que me prova, mais uma vez, que quem sabe, sabe.

O inicio do livro parece um ser humano preso, raptado em cárcere privado…  mas era um chipanzé.

Quando os restos mortais (parciais) de uma jovem são encontrados, com seu corpo desmembrado, no frigorífero do laboratório de pesquisas animais de um instituto de pesquisas neurológicas, o Chub a Universidade Ivy League e Holloman, Connecticut, o tenente Carmine Delmonico é chamado para investigar o crime.

Mas este é apenas o primeiro de uma longa série de crimes hediondos; e Delmonico é lançado num caso aterrorizante.

O criminoso é alguém com vastos conhecimentos de medicina e que coleciona as cabeças como memorabilia.  Me faz lembrar o caso descrito por Tess Gerritsen em “The keepsake” (série Rizzoli&Isles 7 – resenha Skoob:  http://www.skoob.com.br/estante/livro/5340670 e resenha no blog: https://houseofthrillers.wordpress.com/2011/10/08/the-keepsake-ou-keeping-the-dead-edicoes-americana-e-inglesa-tess-gerritsen-serie-rizzoliisles-7/

As vítimas são jovens adolescentes mestiças, lindas, de origens caribenhas, católicas, alunas notas 10, populares com seus colegas e caridosas – todas parecidas umas com as outras.

Personagem interessante essa Desdemona Dupre – espero por outros livros em que ela apareça como protagonista e companheira do tenente Carmine Delmonico, agora que ele resolveu assumir sua atração por ela.

Odeio saber sobre experiências cientificas com gatos – é dito que sob anestia geral eles não sofrem nenhum trauma e que esperam, ansiosamente, pelas sessões experimentais – queria ver se os cientistas se prontificariam a fazer parte dessa experiências.

Os cientistas e os técnicos do laboratório, todos possuem seus pequenos segredos e peculiaridades estranhas.

Cada um dos profissionais do Hug apresentavam esquisitices que poderiam levar à sua culpa:  um tem um brinquedinho” no porão ao qual seus próprios filhos e esposa não tinham acesso, outro tem uma cabana de caça a qual sua esposa também não tem acesso, outro é obcecado por feng-shui, uma tem um caso amoroso secreto.

E o senhor, não é o meu suspeito.  Óbvio demais.” – tenente Carmine Delmonico.

E, apesar da falta de provas, o obstinado tenente descobre que o criminoso pode estar ligado a um caso esquecido desde 1930.  Mas como? Como?  Quem é o segundo “fantasma” afinal? – liga, desliga: agora entendeu, Lili Machado, sua toupeira he,he…

Antes de vir da Austrália e se tornar um novelista famosa, Colleen McCollough era neurocientista e trabalhava como professora.  Uma pesquisadora incansável, ela preenche o livro com informações suficientes para que seus leitores tenham um amplo retrato de um centro de pesquisas.

Me surpreendi, entretanto, que o tenente Delmonico soubesse tanto sobre vestuário feminino, para um detetivo do sexo masculino; mesmo que essa seja uma das obrigações de um bom policial.

Colleen McCollough

Colleen McCullough é internacionalmente aclamada como uma romancista australiana, autora de sucessos como Pássaros Feridos, Tim, entre outras obras literárias.  

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s