Arquivo de julho, 2012


Editora: Record

Este livro foi escrito na época em que Agatha Christie estava casada com um arqueólogo – o Dr. Mallowan.

A jovem enfermeira Amy Leatheran nunca teve interesse pelo misterioso Oriente, mas aceita um emprego em Hassanieh, um lugar muito antigo, no deserto do Iraque, para tomar conta da bela esposa de um famoso arqueólogo, a Sra. Louise Leidner, que estava sofrendo de visões bizarras e de crises nervosas.

“Eu estou com medo de ser assassinada!” – ela diz para a enfermeira.

Seu terror, infelizmente, tem fundamento, e a enfermeira Leatheran logo fica sem sua paciente. Louise Leidner tem sua cabeça esmagada, em um quarto onde ninguém poderia ter entrado.

O maior detetive do mundo, entretanto, está nas vizinhanças: tendo concluído um compromisso na Síria, e curioso sobre a escavação em Hassanieh, Hercule Poirot chega ao local a tempo de liderar a investigação.

Somente com uma mancha de sangue como pista, Hercule Poirot embarca numa jornada através do deserto desta terra exótica, com a ajuda da enfermeira Leatheran, que está deliciada com a empreitada.

Logo outro assassinato acontece. (mais…)

Anúncios

Editora: Record

Cada morte segue precisamente ou em parte o que diz um poema emoldurado no quarto de cada um.

Dez estranhos foram convidados para o fim de semana numa ilha particular no litoral de Devon.

No primeiro capítulo do livro é relatada a viagem de oito dos dez estranhos, que se encontram a caminho da ilha e conhecem-se os motivos que as levaram à ilha.

Na data combinada, os oito chegam no lugar, encontrando-se com os criados do casal U. N. Owen (unknown = desconhecido em inglês), milionários excêntricos desconhecidos de todos eles, que contam que seus patrões, por motivos pessoais, não puderam vir para a ilha.

Tudo que os convidados possuem em comum é um passado sombrio que não querem revelar – e um segredo que irá selar seus destinos.

Pois cada um deles será assassinado – um por um. Até o fim do domingo, nenhum irá restar. E somente os mortos não serão os suspeitos.

Quando os hóspedes terminam o jantar, uma voz vinda de um gramofone, faz acusações contra os dez (os oito convidados e o casal de empregados), todas elas envolvendo a morte de alguém – no final, todas as acusações, com exceção de uma, eram de fato verdadeiras.

Amedrontados e indignados com o que acabaram de ouvir, os convidados tentam procurar informações sobre o casal Owen.

Todos estão assustados e temerosos, com exceção de um deles, um jovem altamente imprudente.

Então decidem que a melhor coisa a fazer é sair do local pela manhã. O grande problema é que a única forma de locomoção é um barco que vem do continente, mas que pelo fato do mar estar agitado não consegue chegar ao local da ilha.

Cada morte segue precisamente ou em parte o que diz um poema emoldurado no quarto de cada um (mostrado abaixo) e que refere-se a uma canção infantil de Septimus Winner nos EUA e adaptada por Frank Green, 1869, na Inglaterra. (mais…)


      Editora: Nova Fronteira

                        “Ah sim! A vida pode ser muito cruel!” – Hercule Poirot

            Do assento número 9, Hercule Poirot estava muito bem posicionado para observar seus companheiros passageiros de vôo de Paris a Londres.

A sua direita, sentava-se uma bela jovem; em frente, no assento 13, sentava-se uma Condessa que tinha o vício da cocaína; do outro lado, no assento 8, um escritor de romances policiais.

O que poirot ainda não sabia era que atrás dele, no assento 2, havia o corpo sem vida de uma mulher – uma conhecida chantagista que viajava disfarçada.

Um audacioso crime foi cometido durante o serviço do almoço e ninguém reparou – um dardo envenenado com uma substância de uma cobra sulamericana, usado pelas tribos indígenas.

E uma investigação com ordem e método, sobre essa morte, através de evidências fornecidas pela bagagem e o conteúdo dos bolsos dos passageiros, retorna com o veredito de culpa de um deles.

Um caso simples de motivo e oportunidade ao participarmos da vida de cada passageiro doavião.

Recomenda-se a leitura de Morte nas nuvens, também publicado sob o título “Death in the air”durante vôos internacionais prolongados ou noites insones, como uma forma de escape da realidade estressante.  Entretanto, não o inicie se precisar dormir – é possível que você queira ler até a última página.

“Ah sim! A vida pode ser muito cruel!” – Hercule Poirot (mais…)


Editora: Companhia das Letras

Em Boston, a verdade não é somente um negócio sujo… é mortal.

               Este é o thriller de estréia de Dennis Lehane, o mestre do novo romance noir – que apresenta Patrick Kenzie e Angela Genaro, seus jovens detetives particulares que trabalham nas ruas de Dorchester.

                                    Um grupo de poderosos políticos de Boston, entre eles 2 senadores, querem pagar Kenzie e Genaro, muito dinheiro por um pequeno trabalho: achar uma faxineira negra, Jenna Angeline, que roubou alguns documentos secretos.

            Mas, como os dois detetives descobrem depois, entretanto, não se trata de um simples roubo.

É sobre justiça – mas em Boston, a verdade não é somente um negócio sujo… é mortal.

Jenna Angelina é facilmente encontrada mas não tem os tais documentos, mas tem um  filho e um marido que são líderes de guangues de rua rivais; uma irmã zangada e uma foto de um dos políticos, com o tal marido, num quarto de hotel, que aponta para prostituição infantil e corrupção.

Enquanto ajuda Patrick, Jenna é morta com um tior de fuzil e a guerra entre gangues é declarada.

Os dois detetives tem de formar um plano para vingar os inocentes e punir os culpados.

Aos poucos, ficamos sabendo sobre o pai agressivo de Patrick e o marido agressivo de Angela; e da atração que existe entre eles. (mais…)


   Editora: Nova Fronteira

                        “Qualquer momento antes do fim, pode ser o momento importante” – Superintendente Battle

            Battle diz a um garoto que havia tentado suicídio: “qualquer momento antes do fim, pode ser o momento importante”. – nisso eu acredito…

            Mas qual a conexão entre uma tentativa de suicídio que não é bem sucedida, uma acusação de roubo equivocada contra uma estudante, um trágico acidente de automóvel, e a vida amorosa de um famoso jogador de tênis?

Para o leitor, aparentemente nada.  Mas, quando os eventos anteriores a uma festa na casa de uma viúva idosa começam a ficar muito dramáticos, o Superintendente Battle descobre que tudo é parte de um plano cuidadoso – de assassinato.

Triângulos amorosos abundam entre os convidados de Lady Camila Tressillian, cuja casa, Gull´s Point, é perto de um rio que desemboca na Baía de Easterhead.

Um dos convidados é Nevile Strange e sua nova mulher, Kay.  Infelizmente, a primeira mulher de Nevile, Audrey, também for convidada.  Por que teria nevile deixado sua primeira mulher, de quem todos gostavam?  Por que Kay acha Audrey assustadora?  E por que depois de ter sido rejeitada, Audrey concorda em visitar a casa neste exato momento? (mais…)