Arquivo de novembro, 2012


Editora: L&PM

Meio que sobrenatural, um homem mágico.

Mr. Harley Quin trabalha para resolver os problemas dos que se encontram em dificuldades na classe alta inglesa, nos anos de depressão econômica.

Um homem alto, elegante, com voz profunda, firme e melodiosa.

Quando parte, o problema está solucionado.

Meio que sobrenatural, um homem mágico, associado com o arquétipo do arlequim.

Vamos ao livro de contos, cujas estórias conectam os aparecimentos e desaparecimentos dessa enigmática criatura.

Cada vez que ele aparece, significa que um mistério está para acontecer.  Ele aparece justo na hora de evitar alguma tragédia ou uma injustiça que possa resultar numa acusação errada.

Quin, entretanto, não tem papel ativo na solução desses mistérios.  Ele apenas dá as dicas e sugestões a Satterthwaite.

Era uma típica festa de Ano Novo.  Mas Mr. Satterthwaite – um solteirão convicto e grande observador da natureza humana – sentiu que o verdadeiro suspense da noite ainda não tinha acontecido.

E aconteceu quando um estranho chegou depois da meia-noite.  Quem era esse Mr. Quin?  E por que sua presença tinha um efeito tão forte em Eleanor Portal, a mulher de cabelos pretos? (mais…)

Anúncios

Editora: Record

Esta é a primeira coletânea de contos protagonizados por Hercule Poirot e seu amigo, o Capitão Hastings.

O estilo de literatura de contos não serve muito, em minha opinião, para Agatha Christie.  Há sempre poucos suspeitos e poucas pistas – fazendo com que fique fácil descobrir-se a solução.

Entretanto, as estórias são deliciosas para os fãs de Poirot – inclusive, num dos contos, ele erra a solução final.

Deve ser lido para um descanso da mente.

O que reúne esses casos fascinantes e, ao mesmo tempo engraçadas, narradas por Hastings e publicadas, originalmente, em 1924?

Somente os poderes de dedução de Hercule Poirot.

Os contos são sobre: um mistério de um artista de cinema; um suicídio que era um assassinato; um mistério de um apartamento absurdamente barato; uma morte suspeita num quarto trancado; um roubo de um milhão de dólares; uma maldição da tumba do faraó; um roubo das jóias sob o mar; um rapto do Primeiro Ministro; um desaparecimento de um banqueiro; um telefonema de um homem morto; e um mistério do testamento desaparecido. (mais…)


Editora: Nova Fronteira

Poderá Poirot descobrir quem quer Magdala morta, antes que o futuro assassino encontre seu alvo?

De férias na praia de St. Loo, na costa da Cornualha, Hercule Poirot fica assustado ao ouvir a bela Magdala (Nick) Buckley descrever seu recente encontro com a morte.

Primeiro, numa subida traiçoeira da estrada, os freios de seu carro falharam.  Depois, um quadro caiu e quase a amassou em sua cama.

Portanto, quando Poirot encontra um buraco de bala no chapéu de praia de Nick, ele decide que essa garota precisa de sua ajuda.

Poirot e o coronel Hastings retornam neste thriller, em que, logo após esses “acidentes”, uma morte realmente acontece.  Entretanto, a vítima não é Nick, e sim, um primo dela.

Poirot tem de evitar que novas mortes aconteçam. (mais…)


Editora: Nova Fronteira

A trama desse livro é um tanto tola, e um pouco simplista.

Eu gostei muito de ler novas aventuras de Lord Caterham e sua filha Bundle (Lady Eileen Brent), que já apareceram em:

O segredo de Chimneys (resenha no blog: https://houseofthrillers.wordpress.com/2012/03/17/o-segredo-de-chimneys-the-secret-of-chimneys-agatha-christie-um-caso-do-superintendente-battle/). 

O mistério dos 7 relógios desvenda o fim de suas estórias românticas.

A trama desse livro é um tanto tola, e um pouco simplista, já que Agatha Christie retorna ao tema das casas de campo e dos clubes masculinos londrinos, a que ela está acostumada desde os anos 20.

Uma festa inocente transforma-se em um horror quando o jovem Gerry Wade é encontrado morto. (mais…)


Editora: Bertrand Brasil

Me perdi com personagens que não me levaram a lugar nenhum e fatos que não me trouxeram informações relevantes para a trama central ou as secundárias.

Olhos de falcão é um bestseller na Inglaterra e Irlanda – não tenho informações quanto ao Brasil – mas eu não gostei – vou logo dizendo!

Vejam bem – não sou uma pessoa que fique melindrada com detalhes sanguinolentos ou realistas demais – adoooooro serial killers na literatura e medicina forense.  Mas este livro ultrapassou meus limites.  Além disso, muita violência achei gratuita e sem sentido – me perdi com personagens que não me levaram a lugar nenhum (e que sumiram sem dizer para onde) e fatos que não me trouxeram informações relevantes para a trama central ou as secundárias (nem foram ilustrativos ou meramente educativos).  Aliás, não deu para separar muito bem qual era a trama principal e quais eram as secundárias.  Já coloquei o livro para troca no Skoob. (mais…)