LINHA DO TEMPO (Timeline) – Michael Crichton

Publicado: 10 de novembro de 2012 em Michael Crichton
Tags:, ,

Editora: Rocco

No início, a interação entre eras é inteligente, mas rapidamente se torna uma aventura com uma pitada de paradoxo do tempo na mistura.

Quando você entrar em uma máquina do tempo, através de um “buraco de minhoca”, e sair na França feudal por volta de 1357, e não for resgatado de volta, precisamente em 37 horas depois de chegar, pode ficar preso em uma guerra civil, ou entre bandidos ansiosos para cortar a sua garganta. 

Esta é a situação dos heróis da Linha do tempo, thriller de Michael Crichton. Eles são historiadores, de 1999, contratados por um bilionário gênio tecnologia com mais de algumas das suas peculiaridades. Como o empresário do Jurassic Park, Doniger tem planos de construir um parque temático com artefatos de um mundo perdido revivido através da ciência. 

Quando o historiador-chefe do projeto envia um pedido de socorro a 1999 a partir de 1357, Doniger do projeto não diz aos outros historiadores sobre os riscos que vão ter de enfrentar ao tentar salvá-lo. 

Uma equipe de jovens arqueólogos, orientados pelo professor Edward Johnston e pelo professor assistente André Marek, buscam encontrar as ruínas do Castelo La Roque, do século XIV, na cidade de Dordogne Valley, na França. 

O projeto em que estão trabalhando é financiado por uma empresa de pesquisas dirigida por Robert Gentilli. Com a intenção de captar mais recursos para sua pesquisa, Edward vai ao encontro de Robert Doniger, deixando os trabalhos nas escavações sob os cuidados de Marek. 

Nesse período, uma câmara oculta é descoberta. A câmara esteve selada por mais de seiscentos anos, e a equipe tem pouco tempo para explorá-la antes que ela se contamine em contato com a atmosfera exterior.

Marek e Kate descem então ao local da descoberta e encontram vários objetos e manuscritos de grande valor para a pesquisa, mas o que mais os intriga é o fato de descobrirem entre os objetos do local uma lente bifocal, que não poderia ter sido inventado antes da câmara ter sido soterrada, e ainda mais intrigante, um manuscrito com um pedido de ajuda datado de 2 de abril de 1357, assinado pelo professor Johnston.

O manuscrito e as lentes são levados ao laboratório e após analisados os resultados demonstram tratar-se mesmo dos óculos do professor e a assinatura do manuscrito corresponde em tudo à assinatura de Johnston.

Temendo pela segurança do professor, descobrem que o professor Edward foi enviado a outro tempo na invenção de Gentilli, que deveria ser capaz de enviar objetos de um lugar para o outro, mas que acabava por deixá-los presos no passado.

Assim, todo o grupo de Marek é enviado ao passado onde deverão resgatar o professor.

Chegam à La Roque em plena Guerra dos 100 anos, e um dia antes da batalha que destruiria o castelo e levaria à morte da princesa Claire.

O encontro com Claire e a paixão pela história do mundo e os valores de outras épocas, levam Marek a envolver-se profundamente na história que se desenrola.

O tempo para retornar ao seculo XXI é cada vez menor, mas nem tudo sai como o grupo planejou. Descobrem que outros já foram enviados antes deles para o local, e que um foi deixado para trás e conhece os segredos deles, colocando sua segurança em risco.

Após muitos desencontros, e a batalha de La Roque, que teve um desfecho diferente do que eles haviam estudado nos livros de história, alguns retornam ao presente, e outros permanecem no passado.

A Skoober Ptah, também resenhou o livro, em 07/12/2009 – Todo historiador vai criticar. Tô nem ai. Primeiro, adoro o autor; segundo, fala de idade média; e terceiro mescla com ficção científica. Tinha tudo para dar errado, mas é maravilhoso!!! Um dos meus preferidos do Crichton fala de uma batalha histórica na França; abusa de viagem no tempo; da falta de charme dos cavaleiros medievais; das damas que faziam de tudo para sobreviver num mundo masculino e criminoso. Definitivamente, vale a pena conferir. 

Trailer do filme sobre o livro:

Michael Crichton

John Michael Crichton foi um escritor e produtor de filmes norteamericano. Seus trabalhos mais conhecidos são romances de ficção científica, dentre os quais, sua obra mais conhecida, Parque dos Dinossauros, adaptado para o cinema por Steven Spielberg, com o título Jurassic Park, e a série de televisão ER. Seu gênero literário pode ser descrito como techno-thriller, que é, geralmente, a união de ação e de detalhes técnicos.

Crichton era formado em medicina por Harvard.

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s