Arquivo de fevereiro, 2013


Editora: Ediouro

Sigma Force

“Eu não contei metade do que vi.” – Marco Polo
O livro se inicia com um relato da parte final da grande viagem de Marco Polo, que duraria 24 anos, passando pela China, Camboja, Turquia, Índia – dando origem a estórias de terras exóticas, desertos intermináveis, cidades fervilhantes, feras inacreditáveis e plantas bizzarras.
Regressando a Veneza, Itália, a história de Marco foi registrada pelo romancista italiano Rustichello de Pisa, mas há uma parte dela ainda por contar. E os mistérios de viagem é o que James Rollins pretende solucionar…
“A peste chegou primeiro, à cidade de Kaffa, onde os tártaros-mongóis sitiavam os genoveses e italianos. A praga atacou os exércitos mongóis com furúnculos que ardiam. Os generais, então, usaram suas catapultas para lançar os mortos vitimados pela doença sobre as muralhas genovesas e disseminar a praga. Os genoveses fugiram de volta para a Itália, trazendo a peste negra às nossas praias.” – Duque M. Giovanni em Il Apocalypse (1356) (mais…)


Editora: Ediouro

Um pesadelo está crescendo no coração do maior mistério de todos – a origem da vida.

 Em Copenhagem…

Uma livraria muito suspeita, que vende documentos históricos raros, como a Bíblia da família de Charles Darwin,  impele o comandante Gray Pierce numa caçada através de 4 continentes e para um aterrorizante mistério que cerca horríveis experimentos realizados num laboratório abandonado e escondido numa montanha da Polônia.

Gray se reúne com Monk Kokkalis e uma batedora de carteiras de 15 anos chamada Fiona, para rastrear a história secreta da Bíblia de Darwin, que pode conter um enigma codificado de um proprietário anterior, o Dr. Hugo Hirzsfeld, um cientista judeu morto com ligações com a Ordem Negra, uma sociedade oculta dirigida por Heinrich Himmler, o infame chefe da SS de Hitler. Antes de sua morte em 1945, Hirzsfeld pode ter descoberto o segredo para controlar a evolução quântica: a verdade “bonita demais para deixar morrer e monstruosa demais para ser livre”.

Nas montanhas do Nepal…

Num monastério remoto, monges budistas exercitam canibalismo e tortura, inexplicavelmente, como sintomas de uma praga que os assolou, enquanto Painter Crowe, o diretor da Força SIGMA, começa a mostrar sinais da mesma loucura que os abateu.  Uma suástica nazista é encontrada numa das paredes do monastério.  E a Dra. Lisa Cummings, uma médica americana dedicada, torna-se o alvo de um assassino clandestino.

Descendentes de cientistas nazistas passaram a se esconder depois Segunda Guerra Mundial, trabalhando em um mecanismo ultra-secreto, que pode influenciar a evolução dos organismos vivos.  Ao expor fetos as energias estranhas, o grupo criou os Cavaleiros do Rei Sol (Ritter des Sonnekonig), um punhado de super-humanos com maior força e capacidade, mas que também sofrem de degeneração crônica.  A exposição acidental de painter à radiação em um nível quântico, faz com que ele tenha, apenas, três dias de vida.

Sigma Force

Na África do Sul…

Um monstro mitológico está vivo e caçando.  O ukufa, é um monstro aterrorizante da mitologia Zulu. Dizem ser tão grande como um gorila – é temido por sua rapidez, astúcia e ferocidade. Também conhecido como o dubu, o lumbwa, o kerit, ou o getet, a criatura é um mito.  Fora da África, o mesmo monstro mítico é conhecido por ocidentais como “o Urso de Nandi.”  , descrito como um grande predador que parece meio urso, meio-hiena, e até meio babuíno. Relatórios e avistamentos do monstro data do início de 1900.

Juntando essas três estórias, somente Gray Pierce e a Força SIGMA podem salvar o mundo, porque uma nova ordem está no comando – um pesadelo crescendo no coração do maior mistério de todos – a origem da vida. (mais…)


Editora: Bloch

Não é um excelente trabalho de Isaac Asimov, mas vale como uma experiência bem sucedida do mestre da ficção científica.

           Todos sabiam que Ralph Neufeld era um jovem químico muito cuidadoso e não tinha tendências suicidas.  Especialmente seu orientador no doutorado, Lou Brade.

É por isso que a morte de Ralph por conta de uma confusão com substâncias químicas, deixou Brade muito preocupado.

A polícia também.

Alguém no campus trocou os frascos e o resultado foi mortal para o pobre Ralph.  Ele inalou cianeto, durante uma experiência de pesquisa, em seu laboratório.

O problema é que todos os suspeitos certos estavam em locais errados quando tudo aconteceu…. todos os suspeitos erados tinham os motivos certos… e a única pessoa mais qualificada para solucionar esse crime estava sendo considerado como o assassino!

Foi muito bom ler uma estória que combina um mistério bem delineado com a aridez da política acadêmica.

Não é um excelente trabalho de Isaac Asimov, mas vale como uma experiência bem sucedida do mestre da ficção científica.

A esfinge (Sphinx) – Robin Cook

Publicado: 16 de fevereiro de 2013 em Robin Cook
Tags:

Editora: Círculo do Livro

Apesar de ser um Robin Cook, este livro não é um thriller médico – é mais um thriller de aventura.

                                 Entre os templos do Vale dos Reis, um tesouro fabuloso está esperando para ser descoberto – um tesouro pelo qual vale a pena morrer ou matar.

Foi a magia e o mistério de um Império milenar que levou a bela Erica Baron a explorar locais proibidos e descobrir a pista para um tesouro além da imaginação.

Ela viajou até o Egito para fugir de uma romance e para realizar seu sonho de egiptóloga.

            Foi então que o terror a alcançou, quando a mais pavorosa das maldições do antigo mundo e a mais selvagem ameaça do mundo moderno, ameaçaram destruí-la.

Durante uma visita a uma loja de antiguidades, Erica conhece Abdul Hamdi, o proprietário, que mostra a ela uma estátua autêntica de Seti I, de tamanho real.  Mas logo em seguida, Hamdi é morto ante seus olhos.

Este episódio inicia uma trilha de intrigas, romance e perigo, quando Erica decide fazer alguma coisa quanto ao mercado negro de antiguidades egípcias. (mais…)


                      Editora: Benvirá

Em clima de tensão, verdades e segredos inconvenientes, são revelados.

O que levou 9 jovens aparentemente sem problemas, a participar de uma roleta-russa?

Um ano depois do evento, uma nova pista ilumina o caso e as mães desses jovens são reunidas para tentar entender o que aconteceu.

Em clima de tensão, verdades são ditas: um diário, escrito em tempo real por um dos jovens, que narra os acontecimentos ocorridos durante a noite em que as mortes aconteceram.

Verdades e segredos inconvenientes são revelados.

Raphael Montes costura o texto de Suicidas, e envolve o leitor em seu livro de estréia, revelando a história de nove jovens que decidem morrer.

Suicidas foi revelado no 1º Prêmio Benvirá de Literatura 2010.

Denso, o texto prende o leitor, e aborda os conflitos da juventude que tem o mundo à frente, mas não sabe o que fazer com ele.  Cheio de reviravoltas, Suicidas é um ótimo livro de entretenimento.

Em 3 narrativas paralelas e alternadas, revelando a trama, aos poucos: o diário cotidiano de Alessandro; o diário em tempo real também de Alessandro encontrado no porão; e a reunião das mães dos adolescentes.

O autor escreve ricos diálogos, com pouco espaço para descrições – um pageturner.

O texto é visceral, intenso e violento – eu gosto disso, mas tenho uma ressalva: achei, na minha opinião, escatológico demais.  E olhem que meus olhos estão habituados aos cenários realísticos das heroínas dos livros de Karin Slaughter, Tess Gerritsen e Patrícia Cornwell – minhas queridas médicas legistas, Sara Linton, Maura Isles e Kay Scarpetta.

Raphael foi ousado, mas foi perfeito: esse ponto eu gostaria de destacar.  A cada mudança de estilo, o leitor é convidado a acelerar a leitura para chegar novamente na continuação de onde parou o capítulo anterior.

Em resumo, uma estréia de sucesso, para um escritor promissor. (mais…)