Arquivo da categoria ‘Mary Higgins Clark’


Editora: Simon&Schuster

Um dramalhão mexicano…

             Da escritora Mary Higgins Clarke, tida como a Rainha do Suspensa norte-americano – título do qual eu não compartilho!!! – e autora do best-seller “Santa Cruise” (resenha no blog: https://houseofthrillers.wordpress.com/category/mary-higgins-clark/) e “Onde estão as crianças?”, lemos a estória, baseada em fatos reais, de uma jovem que tenta descobrir o mistério que paira sobre sua família – e que possui repercussões aterrorizantes.

Santa Cruise

Há 10 anos, Charles MacKensie Jr. (Mack), de vinte e um anos, desapareceu, prestes a se graduar Bacharel em Direito.            Ele sumiu de seu apartamento em Manhattan, sem dizer palavra a sua colegas de quarto, e nunca mais foi visto.

Entretanto, todos os anos, ele faz uma chamada telefônica para sua mãe, no Dia das Mães.  Todos os anos ele assegura que está bem, se recusa a responder perguntas e desliga.

Nem a morte de seu pai, no 11 de setembro, o traz para casa ou modifica os padrões de suas chamadas telefônicas.

A irmã de Mack, Carolyn, de vinte e seis anos, também estudante de Direito, acha que nunca mais terá vida, enquanto não achar seu irmão.  – Um dramalhão mexicano… (mais…)


Editora: Doubleday – large print edition

Uma revelação dessas para quem está prestes a embarcar num navio…  Você embarcava?  Eu não!

Este é o 4º thriller de Natal que mãe e filha escrevem juntas.
O Comodoro Randolph Weed inaugura seu navio recém-restaurado, The Royal Mermaid, num cruzeiro saído de Miami, no Natal, para levantar fundos para a caridade e premiar 400 pessoas consideradas especiais, que “fizeram desse mundo, um melhor lugar para morar”.
Entretanto, Eric Manchester, sobrinho de Weed, vende, por 2 milhões de dólares, lugares para esconderijo no navio, para dois gangsters fugitivos da polícia, que estavam querendo chegar à Ilha Fishbowl, onde eles poderiam ficar fora da jurisdição federal.
Entre os hóspedes do navio, está um grupo de leitores integrantes de um Clube do Livro de Mistério, e uma dezena de figurantes vestidos de Papai Noel de loja.  O Comodoro Weed planeja jogar as cinzas de sua falecida mãe, em cerimônia no convés do navio.  Uma relíquia de Cleópatra, roubada de um museu. – tudo, supostamente, para alegrar os convidados – você não podem imaginar o ridículo das situações e piadas resultantes dessa mistura – só se lerem o livro – não acho que valha a pena.
Alvirah Meehan ganhou na loteria – amiga da investigadora particular Regan Reilly, leva-a junto (um bom grupo: Alvirah, seu marido, Regan, o marido dela, a mãe de Regan e o marido. – parece que essa tal de Alvirah já é personagem figurinha carimbada nesses especiais de Natal, de mãe e filha.
Em relação a ela, logo antes de embarcar, vai a uma cartomante que lê sua sorte: “Eu vejo uma banheira.  Uma grande banheira.  Você não está segura lá.  Ouça-me.  Seu corpo não pode ficar cercado por água.  Até o Ano Novo você só pode tomar banho de chuveiro.” – uma revelação dessas para quem está prestes a embarcar num navio…  Você embarcava?  Eu não! (mais…)