Arquivo da categoria ‘Michael Connelly’


THE_BLACK_BOX_1369264932PBosch é um detetive com uma missão – justiçar as vítimas e sobreviventes.
O policial de homicídios, Harry Bosch, investiga um crime recente, com um caso não solucionado, de 20 anos atrás, em que uma jovem jornalista holandesa, Anneke Jesperson, foi assassinada durante protestos em Los Angeles.
Parece que sua morte não foi resultado da violência do acaso, e sim, de uma conexão mais pessoal e intrigante, que pode ser rastreada até a Guerra do Golfo.
Bosch é um detetive com uma missão – justiçar as vítimas e sobreviventes. É arrogante e age como se as leis não pudessem se aplicar a ele – abraça a tarefa com unhas e dentes, mas é quase impossível reconstruir um crime de duas décadas atrás.
O título do livro: The black Box (A caixa preta) remete à única peça-chave que serve para solucionar as investigações dos desastres aéreos.
Este é o 18º livro de uma série que eu desconhecia, de um escritor famosíssimo, mas que eu desconhecia a obra – vou tentar me atualizar e voltarei com mais resenhas.

Michael Connelly fala sobre seu personagem, Harry Bosch:

 

Anúncios

THE_SAFE_MAN_1353887103PRaso e sem graça – not worth it!
Um famoso escritor, Mr. Robinette, pede a um profissional, Brian Holloway, para abrir um velho cofre que é encontrado no chão da biblioteca da mansão que ele acabou de comprar e para onde mudou-se com a filha. É claro que Robinett desconhece a combinação para abrir o tal cofre.
Robinette não parece muito interessado no possível conteúdo do cofre – somente que ele seja aberto e retirado da casa.
Não se trata de um trabalho muito fácil, pois o modelo do cofre é muito antigo, mas ele está precisando do dinheiro, com a esposa prestes a dar a luz – porém este será um trabalho que irá assombrar o resto de sua vida.
Brian consegue abrir o mecanismo e descobre que o cofre está vazio – mas estará mesmo vazio?
Raso e sem graça – not worth it!