Arquivo da categoria ‘Stieg Larsson’


Editora: Companhia das Letras

A garota com a tatuagem de dragão está de volta, de novo.

Volume final da trilogia Millenium, esta é uma estória explosiva que fecha as portas da série com grande estrondo e que, infelizmente, anuncia que o melhor ainda estava por vir.

O livro termina com sabor de continuação – a tal da irmã gêmea de Salander, Camilla, ainda não deu o ar de sua graça. Nem vai dar, infelizmente, com a morte precoce do escritor Stieg Larsson.

Fiquei sabendo que, na realidade, o planejado por Larsson, para a série era de 10 volumes. O quarto volume chegou a ser parcialmente escrito e há esboços do 5, 6 e 7 e o pai do escritor publicou os 3 primeiros volumes logo após a sua morte, na gana de ganhar os maiores lucros possíveis com o infortúnio.

Entretanto, mesmo com este sabor de inacabada, a trilogia não decepciona e você vai se apaixonar e ficar, como eu, contando nos dedos os dias que faltam para o lançamento no cinema da versão hollywoodiana, com Daniel Craig no papel principal. (mais…)

Anúncios

Editora: Companhia das Letras

A garota com a tatuagem de dragão está de volta

A garota com a tatuagem de dragão está de volta (leiam a minha resenha do “Os homens que não amavam as mulheres”: https://houseofthrillers.wordpress.com/category/stieg-larsson/ ).

Lisbeth Salander, a heroína hacker que eu aprendi a amar, novamente se reúne ao jornalista Mikael Blomkvist, na trilha de um grupo  criminoso.

É, sem dúvida, o melhor da trilogia, que se encerra com “A rainha do castelo de ar”. (mais…)


Editora: Companhia das Letras

No início não me apaixonei…
No início não me apaixonei – estava meio que decepcionada com tanta falação sobre o livro, sobre o autor – mas segui em frente, para ver se engrenava. Cheguei até ao meio do livro e nada – pelo andar da carruagem, já estava pensando em colocar para troca… Cheguei até a parar – pronto, falei – e, depois, eu tentaria voltar, ia ler algo de ritmo mais intenso.
Logo depois, comecei a entender o ritmo do livro – é muito lento – mas talvez seja intencional para forçar o suspense – estou esperando uma reviravolta homérica, ou um segredo revelado – coisas desse tipo.
Acho que o problema, também, são esses nomes de personagens fictícios e de personalidades do mundo político e econômico da Suécia, que não nos passam familiaridade. (mais…)