Arquivo da categoria ‘Tess Gerritsen’


511RH1JBzQL__BO2,204,203,200_PIsitb-sticker-arrow-click,TopRight,35,-76_AA300_SH20_OU01_Editora: Record

É apenas o começo de uma cadeia de ataques violentos e letais, entre os adolescentes de Tranquility…

             Em Bloodstream, assim como em seus thrillers médicos anteriores, uma médica dedicada luta para desvendar as raízes de um violento mistério, antes que este destrua tudo que ela mais ama.

Às margens do Lago Locust, na bucólica cidade de Tranquility, no Maine, a Dra. Claire Elliot tenta abrigar seu filho adolescente, Noah, dos perigos da cidade grande e das lembranças tristes da morte de seu pai.

Mas, juntamente com o inverno, como uma ironia, chegam verdades chocantes que distoam de seus planos: um jovem paciente seu comete um ato de violência aterrador: a professora de biologia da escola local recebe um tiro fatal.

E, como Claire e toda a cidade, logo descobre, é apenas o começo de uma cadeia de ataques violentos e letais, entre os adolescentes de Tranquility, contrariando seu próprio nome.

À medida que a onda de comportamentos violentos se alastra, Claire descobre um terrível segredo: esta não é a primeira vez que isso acontece.  Esses acontecimentos são cíclicos na cidade, e podem ter causas sobrenaturais.

Claire suspeita, então, de que há uma causa biológica para a epidemia.  E ela teme que o belo lago possa esconder um perigo incidioso.  Serão os cogumelos azuis da floresta, ou a misteriosa fosforecência verde do lago, os culpados pela doença dos jovens?

Noah logo se torna incontrolável e perigoso, como os outros. (mais…)


Editora: Record

Bom, esse thriller médico, pelo menos, é melhor que os romances de banca do início da carreira de tess, que parecem até que foram escritos por outra pessoa.

   Tess Gerritsen, que era médica antes de se dedicar à carreira literária, dá autenticidade a outro thriller médico, em que uma jovem e dedicada doutora se envolve num caso misterioso e letal.

            Toby passa as horas do dia sozinha com sua mãe que sofre de Alzheimer.

O plantão na emergência do Hospital Springer está indo de forma calma para a Dra. Toby Harper, até a entrada de um homem em condições críticas com uma possível infecção viral no cérebro.

            O homem delira e não responde a nenhum tipo de tratamento – logo depois, desaparece, sem deixar vestígios.

            Antes que Toby o consiga achar, aparece um segundo caso, revelando um fato terrível: o vírus só pode ser transmitido através de contágio direto com o tecido doente.

            Seguindo uma trilha de mortes que vai desde uma prostituta de 16 anos grávida, até a própria mãe da doutora, Toby descobre o impensável: a epidemia não começou de repente… alguém a deixou começar…

            Vários pacientes idosos mas ainda em plena saúde, de uma mesma casa de repouso para ricos, começam a apresentar sintomas de confusão mental e começam a morrer misteriosamente, um após o outro.  (mais…)

Harvest – Tess Gerritsen

Publicado: 5 de janeiro de 2013 em Tess Gerritsen
Tags:

Editora: Bantam

Harvest: remoção de órgão vivos de um paciente declarado legalmente com morte cerebral.

A doutora Abby Matteo fica lisongeada quando o grupo de elite dos transplantes cardíacos do Hospital bayside, de Boston, a indica como possível membro da equipe.

Mas, confrontada com uma decisão de via ou morte, Abby leva uma coração para ser transplantado para uma vítima adolescente, ao invés daquela que seria a verdadeira receptora do órgão, uma senhora idosa com um marido muito rico e muito apaixonado.

As repercussões dessa troca de receptores abalam Abby e a deixam sem credibilidade no hospital.

De repente, surge um novo coração, e o transplante da senhora é realizado.  É quando Abby faz uma terrível descoberta: os registros do doador foram falsificados – o novo coração não veio através dos canais apropriados.

Desafiando o silêncio do hospital, ela começa sua própria investigação, que revela uma conspiração sem precedentes.

– Bom, para os leitores de Robin Cook em “Coma”, esse tipo de conspiração já é velha conhecida. Em 1977, a idéia de pacientes sendo doadores involuntários de seus órgãos vitais, soava como ficção científica.

Cada movimento de Abby se torna um erro… (mais…)


Editora: Record

“Não há pobres suficientes morrendo em Boston. Nós os tratamos com excessiva indulgência, e eles ficam muito saudáveis.” – Edward Kingston                                                              

   Ossos desconhecidos, segredos escondidos e crimes não solucionados, de um passado distante, deixam sombras sobre o presente, neste thriller da escritora da famosa série Rizzoli&Isles (resenhas no blog: https://houseofthrillers.wordpress.com/tag/rizzoliisles/).  Inclusive, a Dra. Maura Isles faz uma aparição isolada, neste livro que junta presente e passado.

            Nos dias de hoje, Julia Hamil, recém-divorciada, faz uma terrível descoberta no jardim de sua nova (e velha) casa na região rural de Massachusetts:  um anel antigo e um crânio enterrado – humano, feminino e com marcas indubitáveis de assassinato.  Mas, seja quem for essa mulher sem nome, e quem quer que a tenha matado, perdeu-se há muito tempo…

Julia se junta Henri, um parente da dona da casa, de 89 anos, cheio de caixas com cartas, jornais e documentos velhos que pertenceram à provável vítima.  Os dois descobrem informações que datam de 1830, com uma bebê de nome Meggie, nascida de uma irlandesa chamada Aurnia, cujo marido era um canalha. (mais…)


Editora: Ballantine Books

Uma morte bizarra acontece com um toque sobrenatural.

Neste conto de Tess Gerritsen, sobre a dupla Rizzoli&Isles, oferecido única e especialmente em edição para o Kindle, uma morte bizarra acontece com um toque sobrenatural.
A detetive de homicídios Jane Rizzoli e a doutora Maura Isles, já viram de tudo, em cenas de crimes, mas a morte de Kimberly Rayner pode ser qualificada como sobrehumana, em mais de um ângulo.
Quando o corpo da garota de 17 anos é descoberto perto de um caixão vazio, numa igreja abandonada, onde ela vinha morando já há algum tempo com seu amigo Lucas (e mais alguns morceguinhos…), misteriosas feridas em torno de seu pescoço, sugerem algum tipo de brincadeira.
Lucas Henry, um adolescente pego fuçando a cena do crime, declara gostar muito de sangue – um gosto que ele compartilhava com a desnutrida Kimberly – ambos se consideravam vampiros e sua dieta consistia, basicamente, de sangue de animais e do fornecimento de um amigo que trabalhava num banco de sangue lá perto.
Apesar dos eventos deste acaso acontecerem durante um dos invernos mais frios da história da cidade de Boston, ele dormia num caixão e ela numa tumba – não faziam sexo (somente os vampiros de Crepúsculo fazem sexo e procriam…).  Pálidos e magros, amavam-se, segundo ele.

(mais…)